Fórum

Sonda nasogástrica: cuidados a ter

Quando os doentes apresentam dificuldade em engolir ou quando não são capazes de se alimentar de forma natural, há que o fazer por eles. É aqui que entra a sonda nasogástrica, um tubo que é inserido através do nariz e chega ao estômago, permitindo não só a alimentação, mas também a hidratação do doente e a administração de medicamentos.

E tal como é preciso cuidado na confeção dos alimentos de quem nada sofre, também aqui há regras importantes que não devem ser esquecidas e que permitem afastar o fantasma de doenças e infeções. Tudo começa com a limpeza, não só do local de preparação, mas também de quem prepara a alimentação, através de uma lavagem correta das mãos.

Mas há mais. De acordo com as informações do Ministério da Saúde, há outros passos importantes para a criação da dieta líquida, que vai depois ser dada ao doente através da sonda, passos esses que, em muitos casos, voltam a ser os mesmos recomendados para todos.

Cuidados a ter na preparação:

– Estar atento ao prazo de validade dos ingredientes e confirmar se as embalagens estão em bom estado.

– Variar os produtos a usar, preferindo alimentos diversos. Afinal, uma dieta equilibrada não deve ser um exclusivo das pessoas saudáveis, isto sem perder de vista as orientações alimentares que acompanham o doente na altura da ida para casa.

– Depois da confeção, os alimentos devem ser muito bem triturados. É importante confirmar que não existem grumos, que podem depois vir a obstruir a sonda. Por isso, o melhor mesmo é passar a refeição por um coador, eliminando todos os pedaços que possam ter escapado à varinha mágica ou liquidificador.

– Os alimentos devem ser dados ao doente à temperatura ambiente, para evitar eventuais queimaduras. Para se certificar que a refeição não está muito quente, há um truque que as mães de crianças pequenas conhecem bem: colocar umas gotas do alimento na parte de dentro do pulso.

O processo de alimentação

A primeira parte da tarefa está concluída. Depois de preparada a refeição, há que partir, em seguida, para a segunda fase, a alimentação. Aqui, há também cuidados importantes, que começam pela posição do doente. Este deve estar sentado, elevando-se a cabeceira da cama ou recorrendo a almofadas para lhe elevar a cabeça. Se tal for impossível, a melhor posição é deitado de lado, para que evitar que se engasgue, que vomite ou que aspire aquilo que está a comer para os pulmões.

Como alimentar:

– Os alimentos são dados através de uma seringa, algo que deve ser feito sem pressas

– Em termos de quantidade, não deve ser mais do que uma chávena ou o equivalente a um prato de sopa de cada vez.

– Mas atenção: é que antes de começar a alimentar o doente deve certificar-se, por um lado, que a sonda está bem colocada e, por outro, se este já fez a digestão da refeição anterior. E já agora que a sonda se encontra na posição correta. Para isso, há que usar a seringa para aspirar o conteúdo do estômago.

– Se o líquido que sair for inferior a 200ml, pode avançar-se.

– No caso de ser superior a este volume, o melhor mesmo é esperar mais algum tempo, cerca de uma hora, antes de voltar a dar a refeição.

A alimentação é, então, injetada na sonda de forma lenta, um conselho importante, não só porque evita a formação de gases nos intestinos ou de problemas intestinais (diarreia, por exemplo), mas também porque permite uma melhor absorção dos nutrientes.

Depois da refeição: o que fazer

Depois da refeição, a pressa volta aqui a ser inimiga. Por isso, há que deixar o doente sentado durante cerca de 30 minutos, para tornar mais fácil a digestão. E deve também introduzir-se uma seringa de água na sonda, para a limpar de eventuais restos da refeição que por ali tenham ficado. Ao longo do dia, o conselho é simples: ir administrando água, também através da seringa, para garantir a hidratação do doente (entre seis a oito copos).

A sonda tem um adesivo, colado no nariz, que garante que se mantém na posição correta. Aqui, há outros cuidados que importa não esquecer:

– Fazer a mudança do adesivo diariamente, mas com cuidado, para evitar que a sonda saia do sírio certo.

– No caso de a sonda ter saído do lugar, há que contactar os profissionais de saúde. São eles que vão avaliar a situação e reposicionar a sonda.

– Fazer a limpeza da pele à volta do nariz, onde a sonda está colocada

– Colocar creme hidratante nos lábios

– Não esquecer a higiene oral. Mesmo não mastigando, é importante fazer a escovagem dos dentes todos os dias.

Há, de facto, complicações que podem surgir aos doentes que são alimentados através deste tipo de sonda. E costumam estar relacionadas sobretudo com o posicionamento incorreto das sondas ou com a contaminação no momento de preparação dos alimentos, assim como na rapidez da administração dos mesmos, o que pode causar distensão abdominal ou obstipação.

 

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *